1ª Fase, 2ª Fase, Concurso, Notícias, OAB

Isolamento social: um momento de reflexão

01/04/2020 Por Equipe de Conteúdos CEISC

Compartilhe

Diante desta crise que estamos vivendo, diversos sentimentos tais como ansiedade, medo, angústia, insegurança e tristeza vieram à tona, pois estamos frente a uma ameaça real. Por essa razão, convidamos a psicóloga Caroline Maria Nunes (Psicóloga Clínica. CRP 07/28381) para compartilhar sobre esses sentimentos e momento que estamos vivenciando, além de trazer algumas ferramentas de como podemos lidar com essa situação:

Esses são sentimentos que precisam ser acolhidos, reconhecidos e validados, já que essa desordem e bagunça externa também nos desorganiza internamente. Estamos vivendo um momento atípico, anormal e novo. Poderíamos dizer que essa é uma situação diferente de tudo que já vivenciamos em nossas vidas. De repente, passamos por uma mudança brusca e repentina em nossas rotinas e consequentemente isso tem afetado a nossa saúde mental.

O isolamento social tende a nos mobilizar e trazer por meio de sintomas, emoções e sentimentos que pareciam estar adormecidos. A necessidade de isolamento social nos convida a desacelerar. Vivemos em um ritmo tão automático, frenético e mecanizado que às vezes deixamos escapar as sutilezas e belezas da vida, bem como o cuidado com as nossas emoções. Por isso, é no momento que desaceleramos, que o nosso mundo interno começa a fazer barulho. Ao desacelerar, abrimos um espaço para escutarmos às nossas emoções, atribuindo importância e valorização a prática do autocuidado. Não é por acaso que esse vírus está nos dando uma ordem que é a de ficar em casa.

E o que eu pretendo dizer com isso? Muito além de permanecer em nossa casa concreta, esse vírus tem nos convidando a olhar para nossa casa de dentro, nos dando a oportunidade de organizar as nossas emoções, acessar aquilo que estava reprimido e limpar a “sujeira” que escondíamos em baixo do tapete. Por isso, esse tem sido um momento de introspecção e conexão consigo mesmo. Você já parou para pensar se consegue curtir a própria companhia? Esse é um grande desafio, já que a tendência é sempre preencher o nosso tempo e o nosso vazio com inúmeras atividades. Mas o que é importante de mencionar, é que esse é um momento marcado por esses sentimentos que nos desestabilizam e desse modo, não devemos nos cobrar tanto por uma alta performance ou produtividade, pois a forma como produzíamos anteriormente precisou ser restruturada e readequada, entendendo as limitações que nos impedem disso, até porque as nossas emoções estão sendo atravessadas o tempo todo por essas mudanças que estão acontecendo.

Nós sabemos que a preocupação que se tem neste momento é com o adoecimento do Corona Vírus, mas devemos lembrar também que temos que atribuir atenção ao nosso emocional para não desencadear ou potencializar adoecimentos psíquicos, até porque podemos adoecer de inúmeras formas. Por isso, se permita a rever como você tem cuidado da sua saúde mental e também a sair de uma posição de “falso” controle, porque o aparecimento desse vírus nos fez perceber que nem sempre teremos o controle.

Sei que estou conversando com um público de pessoas que poderiam estar se organizando para as provas de Concursos e OAB que aconteceriam em breve, mas remarcadas ou até mesmo suspensas por tempo indeterminado, já que esse é um momento de indefinições, incertezas e imprevisões. Assim, esse momento nos faz refletir que nem sempre teremos o controle de todas as situações e que a vida não se trata de uma linha linear que precisa ser seguida arrisca, pois tudo é passível de mudanças, mas lembre-se o sonho ou objetivo de vocês foi adiado, não cancelado.

Não se puna ou se culpe por aquilo que agora você não pode controlar. Por isso, aproveite esse momento para investir o seu tempo não só em relação a preparação de conhecimentos específicos e técnicos em relação a prova que vocês estão estudando, mas também, um momento de preparação emocional, que poderá possibilitar mais tranquilidade e segurança. É importante lembrar que este é um momento de se respeitar. Respeitar a nossa fragilidade e vulnerabilidade que passamos o tempo todo negando, evitando ou fugindo. Poder validar, aceitar e reconhecer a existência dos nossos sentimentos é fundamental, lembrando que você tem o direito de ficar chateado, angustiado ou triste por isso estar acontecendo. Desse modo, penso que esse é um momento para refletirmos sobre o que queremos nos reconectar e o que realmente faz sentido em nossas vidas. Ainda que estejamos isolados socialmente, nunca estivemos tão unidos em torno de um mesmo propósito, nunca estivemos tão próximos, mesmo que virtualmente, de quem amamos, nunca estivemos tão humanos e solidários. Que possamos nos fortalecer em nossa rede de apoio, por meio dos nossos laços fraternos. Vocês não estão sozinhos. Contem comigo!

Algumas dicas para amenizar a ansiedade:

  • Procure estabelecer uma rotina – Aproveite esse tempo como uma oportunidade a mais para você organizar os seus estudos, mas sem se cobrar e se exigir demasiadamente, respeitando o seu tempo, entendendo que estamos vivendo um momento diferente de todos os outros, então não se cobre tanto por uma alta performance ou produtividade já que esse é um momento de introspecção e de se perceber de um novo jeito;
  • Evite o excesso de informações e procure por informações em meios de comunicação confiáveis dentro de um tempo limitado – Não fique o dia todo lendo ou assistindo sobre esse assunto, pois isso poderá levar a angústia e aumento da ansiedade. Com a nossa saúde mental afetada, a tendência é baixar a imunidade porque o meu organismo vai estar liberando em excesso o cortisol e adrenalina que são os hormônios do estresse, me deixando o tempo todo em um estado de alerta e mais suscetível a adoecer psiquicamente. Isso não quer dizer que você não possa se manter informado sobre o que está acontecendo e sobre os cuidados e precauções que deva tomar, mas saber de tudo o tempo todo não vai mudar a minha realidade.
  • Foque no que você pode controlar – como a boa higiene, não proliferação e disseminação do vírus, continuar com a prática e rotina de estudos, ao invés de se “torturar” tentando adivinhar, deduzir ou controlar o que pode ou não acontecer.
  • Gerencie o seu medo – os medos surgem de perigos realistas, mas muitas reações e comportamentos também são causados pela falta de conhecimento, rumores e desinformação. Lembrem-se que os nossos medos podem ser frutos das nossas fantasias.
  • Aproveite para se dar pequenos prazeres – assistir uma série ou filme, ler um livro, escutar música, práticas de meditação, praticar jogos online;
  • Procure realizar exercícios físicos adaptados ao seu ambiente: isso ajudará a manter a imunidade alta e a neutralizar os efeitos do estresse. O exercício físico costuma liberar serotonina, endorfina e outros hormônios que ajudam a controlar a ansiedade.
  • Mantenha contato mesmo que seja virtual com seus amigos e familiares – manter o contato com quem amamos nesse momento é fundamental e uma forma de evitarmos o nosso isolamento emocional, reconhecendo que não estamos sozinhos. Compartilhar nossas angústias e sentimentos com o outro pode nos fortalecer e encorajar.
  • Use técnicas de gerenciamento de estresse: esse é o momento de abrir aquela caixinha de ferramentas que você costuma guardar para rever quais dispositivos você poderá contar como aliado neste momento.
  • Aceite e acolha com afeto os seus sentimentos – não se culpe ou julgue as suas emoções como certas ou erradas, apenas as escute e deixe que elas possam se manifestar.

 

Gostou do conteúdo e das dicas para amenizar a ansiedade? Continue acompanhando as nossas publicações, redes sociais e canal do Youtube! Estamos disponibilizando diversos conteúdos gratuitos para você aproveitar da melhor forma a quarentena!

Confira também as redes sociais (Instagram e Facebook) da psicóloga Caroline que fez esse conteúdo com muito carinho para vocês!

    Leave Your Comment Here

    Close Bitnami banner
    Bitnami