,

Estratégias na hora da prova de 2ª Fase

Olá, pessoal! Com intuito de auxiliá-los para um melhor desempenho na hora da prova, reunimos neste post a orientação dos professores dos cursos de cada área de 2ª Fase OAB.

Administrativo:
1) Inicie com a leitura do enunciado da peça, depois vá para as questões e, na medida que for sabendo as respostas, vá resolvendo;
2) Se possível, faça duas leituras, uma sem marcar, pra entender o todo, e a segunda mais atenta, sublinhando pontos importantes;
3) Após, faça a peça, anotando ideias principais do esqueleto na folha de rascunho e, estruture em si, diretamente na folha definitiva;
4) Havendo dúvida sobre dois ou mais fundamentos legais, indique ambos;
5) Dobre o canto da página do Vade mecum, se precisar lembrar de alguma página em específico.

Civil:
Os professores recomendam que os alunos façam primeiro um esqueleto da estrutura provisória da peça prático-profissional na folha de rascunho, colocando os artigos e teses que já identificaram. Após, devem responder as questões que compreenderam. Posteriormente, devem ler novamente o enunciado da peça e fazer a estrutura definitiva. Por fim, podem retornar para as questões que ficaram pendentes (se houver), e finalizar a prova. Em relação ao tempo, a sugestão é que os alunos dividam o tempo ao meio, deixando ao menos metade do tempo para a peça.

Constitucional:
1) Inicie a prova fazendo a leitura do enunciado da peça. Anote pontos principais para sua estruturação, por exemplo: partes envolvidas, qual o direito violado, qual o pedido/o que está sendo buscado. Com isso, você terá base para identificar qual a ação cabível;
2) Estruturado os tópicos, elabore a peça em si, utilizando, no máximo, 3 horas do tempo disponível da prova;
3) Reserve, em média, 30 minutos por questão e, sempre identifique o que é pedido: “Pode…? “Cabe…?”
4) Inicie sua resposta respondendo ao que foi pedido e, após identificar o tema da questão, procure no Vade mecum o fundamento adequado;
5) Você não terá tempo para ler todo o seu Vade mecum. Seja preciso e abuse dos índices e sumários. Escreva com suas palavras e depois coloque a fundamentação;
6)Não esquecer de “passar o dedo” pelas Súmulas Vinculantes e identificar se algumas delas cabe ao que está sendo questionado;
7) Contabilize o tempo para se dedicar às peças e a cada uma das questões, ou seja, não permita que uma só questão paralise sua prova;
8) Lembre-se que que você não está sozinho, não deixe que o medo e a insegurança lhe paralisem. Confie no processo e sinta nossa presença através de tudo que aprendemos juntos nessa jornada. Nós, seus professores, acreditamos em vocês!

Empresarial:
Os professores sugerem que se faça a leitura de toda prova primeiro para que os alunos possam identificar palavras chaves e eventuais legislação/artigos que recordam estarem atrelados ao conteúdo. A partir disso sugerem que o aluno “rabisque” a resposta/tese do que possuem certeza.
Não há uma indicação de iniciar pela peça ou questões, o aluno deve fazer como se sentir mais confortável, contudo, os professores destacam a importância de deixar 2h no mínimo para o desenvolvimento da peça.

Trabalho:
Orientam que tem que seguir como foram melhor no treino das provas anteriores e simulados, que para cada pessoa pode funcionar diferente e cada um tem seu jeito de estudo e de como colocar em prática. É algo muito peculiar de cada examinando, não existindo uma fórmula pronta.

Tributário:
1) Ler no mínimo 5 vezes o enunciado;
2) Extrair os dados essenciais do enunciado (quem é meu cliente + qual é o problema + quem está contra meu cliente);
3) Identificação da Peça;
4) Estruturar à Peça em Tópicos e Apontar Artigos;
5) Estruturar as Respostas das Questões e Apontar Artigos;
6) Passar a limpo direto na folha definitivo.

Penal:
1) Inicie a prova fazendo a leitura do enunciado e marcando nele os aspectos importantes. Tome cuidado com datas e idades, pois a FGV costuma cobrar teses relacionadas a elas;
2) Não escreva a peça inteira no rascunho, pois ao final poderá faltar tempo para a conclusão da prova. Faça apenas o esqueleto da peça, anotando os principais pontos, como qual a peça adequada, a sua base legal, o prazo, conteúdo, entre outros;
3) Leia mais de uma vez o enunciado para identificar todas as teses cabíveis;
4) A partir das informações constantes no esqueleto da peça, redija a peça na folha definitiva. Lembre-se de dividir a peça em tópicos para facilitar que o corretor identifique as teses;
5) Sugerimos deixar 3h para resolução da peça e 2h para as questões.
6) Não indicamos uma ordem específica (primeiro fazer a peça e depois as questões, por exemplo), pois é algo que varia de acordo com cada aluno. O ideal é que eles façam o teste antes da prova, durante a realização dos simulados, e vejam com qual ordem melhor se adaptam.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Tags

Posts relacionados

Skip to content