Polícia Civil de São Paulo: como foi o último concurso

Veja como foi o concurso para Investigador e Escrivão realizado em 2018

Para aquele estudante que está de olho nas novidades envolvendo o tão aguardado concurso público para a Polícia Civil do Estado de São Paulo, as últimas semanas foram de grande expectativa, principalmente após a publicação do extrato do contrato entre o governo estadual paulista e a Fundação Vunesp – que será a banca responsável pelo certame – e pela nomeação de 389 candidatos aprovados no último concurso.

Para te ajudar a se preparar para as provas, analisamos os editais para os postos de Investigador de Polícia e Escrivão, detalhando as fases do concurso realizado em 2018, o conteúdo cobrado e outros detalhes úteis.

Estrutura das provas

Para o cargo de Investigador de Polícia foram disponibilizadas 600 vagas, de nível superior, com remuneração de R$ 3.743,98, e as seguintes atribuições: realizar diligências investigatórias e de policiamento preventivo especializado; cumprir mandados; realizar prisões e apreensões, entre outros. Ao todo, o concurso conteve quatro fases, apresentando prova preambular, prova escrita, comprovação de idoneidade, prova oral e prova de títulos.

A primeira foi estruturada da seguinte maneira:

  • Língua Portuguesa (36);

  • Noções de Direito (30);

  • Noções de Informática (16);

  • Noções de Criminologia, noções de lógica e atualidades (18), com um total de 100 questões.

Aos selecionados da segunda fase, a investigação social buscou a comprovação de idoneidade, através de investigação, envolvendo antecedentes profissionais, relações sociais, antecedentes criminais, redes sociais, entre outros.

Na terceira fase, a prova oral – gravada em áudio e vídeo- consistiu em questões das disciplinas de Língua Portuguesa, Noções de Direito, Noções de Criminologia e Atualidades. A prova contou com a pontuação máxima de 100 pontos, sendo o mínimo de 50 pontos necessário para aprovação.

Por último, e passados cinco dias úteis da publicação dos aprovados da fase oral, a apresentação de títulos pôde ser feita, tendo um valor máximo de 20 pontos.

Já para a posição de Escrivão, foram abertas 800 vagas de nível superior, com remuneração de R$ 3.743,98, sob as seguintes atribuições:

Elaboração de registros digitais de ocorrência – RDO;
Termos circunstanciados;
Inquéritos policiais – em todas as suas formas de instauração;
Processos administrativos.

Em relação às fases e conteúdos cobrados nelas, o certame para Escrivão apresentou poucas diferenças em relação à estrutura e conteúdo. As únicas fases que apresentaram mudanças foram as provas preambular e escrita. A primeira, com total de 100 pontos, apresentou a seguinte disposição:

  • Língua Portuguesa (30);

  • Noções de Direito (30);

  • Noções de Criminologia (10);

  • Noções de Informática (10);

  • Noções de lógica (10);

  • Atualidades (10).

Já a prova escrita conteve quatro questões (ao invés de cinco como a para Investigador) num total de 100 pontos.

Foto: Agência Brasil/Reprodução


Já conhece nosso curso?

O Ceisc reuniu, em mais de 200 horas de conteúdo, todos os conteúdos cobrados pela Vunesp no certame de 2018 que detalhamos nesta matéria. Abaixo, você pode acessar nosso curso para Investigador e Escrivão na íntegra, e conferir as condições especiais oferecidas para ele!

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Tags

Posts relacionados

Skip to content