Se você tivesse certeza de que não erraria, você arriscaria mais em seus objetivos?

Por:

Caroline Maria Nunes

Pense no maior sonho neste momento da sua vida. Pensou? 

Agora faça o seguinte exercício reflexivo: 

  1. Por que você dúvida constantemente de si mesmo? 
  1. Você costuma destacar mais os seus erros e esquece de enaltecer os seus acertos? 
  1. Quantas vezes você deixou de arriscar, pelo medo de se frustrar? 
  1. Quantas vezes você não conseguiu tolerar e abraçar as incertezas diante das tentativas e apostas da vida? 

Geralmente o período que antecede a prova, costuma gerar insegurança e por vezes, coloca em dúvida a autoconfiança do aluno. Por ser um momento em que você possa estar se sentindo mais fragilizado(a) e vulnerável, pode ser constante o sentimento de incapacidade, que não irá conseguir obter o resultado esperado e consequentemente se culpar por estar se sentindo assim.  

Entretanto, é importante de se fazer o seguinte questionamento: 

A vida não se trata de arriscar?  

O que está por trás da insegurança geralmente é o medo de que haja uma frustração diante das próprias escolhas. Uma pessoa quando insegura, pode alimentar e super dimensionar medos imaginários que a fazem paralisar.  

A insegurança nos impulsiona a voar, mas quando esse voo é impedido pelo medo de frustrar-se, será o momento em que deverá buscar por ajuda. 

Além disso também é importante de pensar sobre a auto sabotagem que nada mais é que pensamentos e comportamentos negativos em relação a si mesmo, com a sensação recorrente de não estar preparado, que faz com que o aluno se subestime constantemente. O medo de pensar na hipótese de não conseguir alcançar o resultado esperado, faz com que deixe de arriscar, de tentar novamente a prova quando reprova nas primeiras tentativas. 

No entanto, as inseguranças fazem parte da vida e elas nos fazem questionar sobre as nossas escolhas. É natural se sentir inseguro frente a momentos importantes que representam uma transição, mas lembre-se: 

“Essa não é a primeira e nem a última avaliação da sua vida”.  

A vida é escrita por desafios e a todo momento somos lançados a situações novas que nos exigem coragem. 

Então alguns fatores são bem importantes de lembrarmos neste momento: 

– Frustrar-se mais de uma vez por um mesmo motivo faz parte deste processo. Criar expectativas, poder chorar, se sentir vulnerável e frágil. Vivemos negando isso o tempo todo e esse movimento é um exercício diário de autocuidado e empatia consigo e com seus sentimentos.  

– Reconhecer as suas emoções e os seus sentimentos é fundamental para poder enfrentá-los, pois o sofrimento quando escondido ou silenciado se torna cada vez maior. As emoções hostis não tendem a desaparecer sozinhas apenas porque tentamos escondê-las. Muitas vezes, esses sentimentos não elaborados, vão repercutir no corpo sintomas por meio do adoecimento.  

– Antes de olharmos para a conquista final, devemos validar o caminho que costuma ser permeado por dificuldades, desconfortos, apostas, ansiedade e inseguranças. Esse caminho não vem pronto e ainda precisa ser construído. Todo caminho requer investimentos e apesar das dificuldades, no final, tudo sempre vale a pena.  

Tenha paciência, respeite o seu tempo, se encoraje e continue acreditando em seus sonhos!  

Você poderá ir muito mais longe se expandir internamente o seu olhar sobre os desafios, transformando-os em potência de vida e autoconhecimento.    

Com carinho, psicóloga Caroline Maria Nunes.  

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Colunas Relacionadas

Posts relacionados

Skip to content