Como gerir as emoções durante a prova da OAB!

Por:

Caroline Maria Nunes

Sabemos o quanto a preparação emocional é primordial e por vezes até decisiva neste momento que antecede a prova. Por isso, se faz necessário refletir sobre as ferramentas emocionais necessárias que você precisará contar nesta fase transitória.

Mas primeiramente, eu gostaria de convidar você a se questionar: Você costuma escutar as suas emoções?

Muito além da necessidade do cuidado das emoções durante o período de avaliações, cuidar das emoções requer diversos investimentos psíquicos que precisam advir de um movimento constante e contínuo.

Durante a prova, podem surgir diversos sentimentos desconfortáveis, já que estamos falando de um momento de avaliação. Entre esses sentimentos, podemos citar a ansiedade, a insegurança, o medo frente a incertezas, o sofrimento e desestabilização emocional diante da possibilidade de se frustrar com o resultado final e a tensão.

Todos esses sentimentos requerem atenção, visto que, quando negligenciados ou ignorados podem suscitar em adoecimento psíquico. Em algumas situações em que o aluno se sente paralisado diante do seu sofrimento, será o momento de contar com o apoio e a ajuda profissional para lidar com esses sentimentos sem comprometer seu desempenho no momento da prova.

A tensão excessiva provocada diante da prova pode ser advinda da pressão e do esgotamento psíquico que são suscitados no estudante durante esse período. Além de ter que dar conta dos estudos, muitos estudantes precisam ainda conciliar as atividades estudantis com trabalho, afazeres domésticos e outros compromissos pessoais. O acúmulo dessas tarefas e a autocobrança do estudante em ter que obter a eficiência em todos os âmbitos da vida, ocasiona em sofrimento e sobrecarga emocional.

Com esses sentimentos presentes, o estudante pode ser ver impedido de conseguir absorver o conteúdo das matérias e aproveitar o percurso, ao invés de focar apenas na chegada/resultado final. Embora a preocupação com a prova se faça presente, suscitando diversos medos imaginários advindos da ansiedade, é importante que o estudante consiga reconhecer que essa é mais uma etapa da sua vida a ser enfrentada e que trará ainda mais ensinamentos.

Por isso, fica ligado nestas estratégias para que você consiga gerenciar as emoções frente a prova:

1. Mude a forma como você encara as avaliações em sua vida. Reflita que você está apostando em um universo de possibilidades que podem se abrir a qualquer momento a você.
2. Valorize o seu percurso até aqui. Muitas vezes o estudante sente que não estudou o suficiente e que precisava de mais tempo para a realização da prova. Esse sentimento de autocobrança pode advir da necessidade em ter que atingir um ideal, como se não pudesse haver deslizes, tropeços e frustrações pelo caminho, afinal, a vida não é linear e é feita por tentativas. Por isso, estudar o suficiente não é estudar de maneira que extrapole os seus limites. O “suficiente” já diz sobre aquilo que você precisa. Você consegue reconhecer isso?
3. Acredite em você: resgate suas forças e relembre sua trajetória. Ela foi feita de muitos desafios que você conseguiu enfrentar. Por que agora seria diferente? A prova existe para que você possa testar os seus conhecimentos, mas ela não define quem você é a sua capacidade.
4. Organiza-se com antecedência para a prova: revise os conteúdos, chegue cedo no local da prova e cheque o que você precise levar. A ansiedade pode causar desconcentração e algumas atrapalhações na véspera da prova, por isso, tente se organizar com tempo para que estes fatores não aumentem significativamente a sua ansiedade e que tragam prejuízos.
5. Reserve um tempo para cuidar da sua saúde mental e física: não deixe de priorizar momentos de pausas nos quais você consiga descansar e repor suas energias. Além disso, é comprovado cientificamente que momentos de lazer ajudam a reduzir o estresse e ansiedade. Não se prive e nem se culpe por destinar um momento para se escutar e atender as suas necessidades (emocionais e físicas).
6. Entenda que é importante você ter um cronograma flexível: por mais que você tenha reservado um tempo para dedicar-se aos estudos, nem sempre aquilo que você imaginou irá sair conforme você planejou. Por isso, construa um cronograma realista e faça o que está ao seu alcance, o que é possível neste momento.
7. Busque por apoio psicológico especializado: você não precisa lidar sozinho com esses sentimentos. Não espere adoecer para buscar por ajuda de psicólogo. O suporte psicológico se faz necessário uma vez que poderá auxiliar você a enfrentar esses desafios.

Espero que essas reflexões e dicas tenham ajudado você. Boa prova! Estarei na torcida.

Com carinho, psicóloga Caroline M. Nunes 💙 

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Colunas Relacionadas

Posts relacionados

Skip to content